A (in) visível presença do ser: diálogos entre Cézanne e Merleau-Ponty 

Tiago de Jesus Sousa

Sinopse: Paul Cézanne, um dos maiores pintores modernos, chamado por Pablo Picasso de «O Grande Mestre», é tomado nesse livro como a referência fundamental de ruptura com a arte, a ciência e a filosofia clássicas. O livro descreve como Maurice Merleau-Ponty vê na obra do pintor uma possibilidade de superação de uma filosofia que não leva em consideração o contato primordial com o mundo e o transforma em pensamento. Cézanne habita o mundo e faz parte dele, por isso não precisa pensá-lo para pintar, mas apenas vivê-lo. A construção da expressão na tela é realizada por Cézanne por meio de uma promiscuidade entre o visível e o invisível que possibilita, por um ato criador, a experiência do Ser enquanto presença

Introdução aos problemas fundamentais da filosofia

Rudolf Christoph Eucken

Trad. Sérgio Luis Pertsch

Leia mais

Solilóquio: ou conselho a um autor 

Shatesbury

Trad. Lygia Caselato

Leia mais

Vida breve, arte longa: a humanitas grego-hipocrática e a humanização da medicina 

 Maria Eveline R. Ribeiro

Leia mais

Brilho Sensível do Espírito Absoluto, a Arte em Hegel 

 Maria Eveline R. Ribeiro

Leia mais

  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram

© 2020 EDITORA CAJUÍNA

contato@editoracajuina.com.br 
Cotia - São Paulo, SP