LANÇAMENTOS

catálogo.jpg
9788554150747.jpg

USINAS HIDRELÉTRICAS E CENTRAIS ELÉTRICAS A DIESEL:

Exercícios Práticos e Comentados

Djalma Caselato

2022, 282  p.

Sinopse: Com exercícios e métodos de cálculo extraídos de situações recorrentes na prática profissional, este livro é uma contribuição para ampliar as práticas de aquisição do conhecimento sobre a Engenharia de projeto de usinas hidrelétricas e termoelétricas.

Exercícios resolvidos ilustram uma síntese teórica, elaborada para orientar a resolução dos exercícios propostos, apresentados no final de cada capítulo, e cujas respostas encontram-se

no final do livro.

cover.jpg

SOPHIE E OS CERVOS

Haron Gamal

2022, 304  p.

Sinopse: Neste romance o narrador passeia pelas ruas do Rio de Janeiro e de Paris, enquanto discute com seus amigos e recém-conhecidos sobre a possibilidade de haver uma fórmula
infalível para o convencimento. Em meio à leitura de autores do passado, do presente e da vivência cotidiana na qual nos insere de forma quase viva, suas reflexões se desdobram da
literatura para a filosofia, transitando de uma possível função desta arte feita de palavras à plena beleza, método que, talvez, seja capaz de fornecer a verdadeira chave para o que procura. Voltando-se novamente sobre a realidade, o narrador insinua que o próprio livro em nossas mãos fornece a experiência necessária para tal empreitada.

Cover600.jpg

O PORTEIRO DE MACBETH E O REFÚGIO DE MONTAIGNE

Ricardo Luiz de Souza
2021, 242  p.

Sinopse: Neste livro, o autor analisa os Ensaios de Montaigne em contraponto com as peças de Shakespeare. Cada autor é abordado em sua especificidade, mas serão definidas, igualmente, convergências entre as obras de ambos, pontos de contato e de contraste. Shakespeare e Montaigne foram contemporâneos, o segundo não conheceu o primeiro, mas Shakespeare leu Montaigne. O autor analisa também a obra de La Boétie, na qual demonstra como o pensamento político do autor definiu, em linhas gerais, o pensamento político de Montaigne, tanto em sua crítica radical do poder estabelecido quanto em sua completa falta de ilusões em relação às intenções e motivos dos poderosos. Paradoxalmente, em seu conservadorismo, finalmente estabelece uma linha de continuidade entre os Ensaios, escritos no final do século XVI, e as obras de La Rochefoucauld e Vauvenargues, escritas no século XVIII. O caráter fragmentário das obras escritas por ambos retoma a estrutura do texto de Montaigne, mas, principalmente, ambos introduzem o ceticismo do autor em um horizonte intelectual dominado pelo Iluminismo, questionando, com isto, as certezas da razão.

UMA SANGRIA DE TREVAS_COVER.jpg

UMA SANGRIA DE TREVAS: A fraternidade não buguesa em Sagarana, Quarup e outras narrativas brasileiras

Arturo Gouveia
2021, 212 p.

Sinopse: Este livro consiste na apresentação de todo um embasamento teórico sobre a história e a conceituação da fraternidade no mundo ocidental, em duas vertentes: o legado do cristianismo e as concepções políticas do Iluminismo e da Revolução Francesa. Abrange ainda a análise do conto "A hora e vez de Augusto Matraga", de Guimarães Rosa, e do romance Quarup, de Antônio Callado. Em relação ao conto rosiano, uma parte da análise dos pretos velhos que protagonizam a ação fraterna já se encontra no ensaio "A fraternidade como exceção", no livro Da ignomínia à pertença (Editora Cajuína, 2021). Trata-se do enfoque de personagens secundários, porém muito importantes no destino do protagonista. O romance calladiano também demonstra ação decisiva de personagens marginais que salvam o herói da violência sofrida por um agente da ditadura...

Cover3000.jpg

BENZEDORES DE SÃO MIGUEL DAS MISSÕES, RS: A construção de suas identidades a partir de memórias e tradições

Juliani Borchardt da Silva

2021, 464  p.

Sinopse: Juliani Borchardt da Silva apresenta a cidade de São Miguel das Missões, RS como uma “terra de benzedores”. Analisa dois aspectos fundamentais que justificam a referida abordagem: primeiro, a cidade denota empiricamente uma grande quantidade de sujeitos que exercem o ofício espiritual da cura e, segundo, há uma autodenominação das gestões municipais em enquadrarem publicitariamente e turisticamente a localidade como um espaço de onde emergem muitas pessoas com a referida prática no interior de suas famílias. A hipótese delimitada por esta pesquisa é a de que os sujeitos identificados como benzedores possuem sua prática alicerçada a priori em processos memoriais produzidos socialmente, os quais, transmitidos entre gerações, efetivam um ofício tradicional que demarca as identidades de seus praticantes e da comunidade em que vivem.

As formas do mando Cover.png

AS FORMAS DO MANDO:

conformismo e decadência em Graciliano Ramos

Adriana Furtuoso da Silva

ISBN: 9786586270723

1ª. ed. 2021, 176 p.

Neste livro a autora analisa duas obras de Graciliano Ramos: Vidas Secas e São Bernardo. O mando é visto como sinônimo de autoridade, comando direto, domínio, ordem, poder e soberania. Na primeira obra, tem-se o mando abstrato e social. Esse mando se operacionaliza sob a perspectiva do oprimido e seu aparente conformismo do retirante é subjugado pela sua situação de miséria acentuada pela seca; é animalizado pela sua condição de excluído ante a destituição de bens e de fala; explorado e enganado pelo  patrão, bem como é também humilhado em virtude do abuso de autoridade do soldado amarelo, representante de um Estado ausente. Na segunda obra, na visão do opressor, tem-se um mando personificado por uma figura desprovida de escrúpulos, que exerce um domínio sobre tudo e todos que estão a sua volta, inclusive sobre a esposa. À medida que tal domínio e autoridade diminuem, porém, o personagem é levado a um estágio de decadência. 

DOS NÃO LUGARES_COVER.jpg

Sinopse: Este livro tem como tema central o (não) lugar das Transidentidades. A problemática e a inquietação a serem respondidas, as quais se fundem ao objetivo geral, pautam-se em analisar se os (não) lugares podem se configurar, ao mesmo tempo, como possibilidades de exclusão e emancipação Transidentitária na busca pela afirmação de direitos à diferença e à alteridade. Como resultados da pesquisa, pode-se afirmar que as mulheres Trans ainda vivem em uma sociedade majoritariamente pautada pela heteronormatividade e pela discriminação a todo ser humano que se auto identifica como gênero divergente, haja vista que, diuturnamente, esses indivíduos e grupos sofrem violações físicas e simbólicas, simplesmente por se colocarem no mundo como corpos revolucionários. Ao mesmo passo, por meio das vivências e lutas Trans expressadas por meio das narrativas que deram vida a este trabalho, resta evidente que as mulheres Trans São-borjenses fazem dos não lugares, também territórios de luta e reivindicação Transidentitária, bem como, constroem no corpo um "lugar" no mundo, um manifesto não binário.  

Sem título-1.png

MELHORANDO A REDAÇÃO DO TEXTO ACADÊMICO

Wilbett Oliveira
ISBN: 978-65-86270-72-9
2021, 250  p.

Sinopse: Este livro serve de instrumento à elaboração de resumos, resenhas, artigo, projeto de pesquisa e monografia, com vistas a atender às necessidades dos acadêmicos. Com informações claras e objetivas, revela os passos para a elaboração desses textos, porque apresenta exemplos e  exercícios que ilustram, de forma segura, as orientações dadas, contribuindo parcialmente, mas, sobretudo, de maneira singular, no processo de construção social do saber proposto pelas instituições de ensino superior.

ENTRE MUNDOS DIFERENTES_cover.jpg

ENTRE MUNDOS DIFERENTES
Denis Curi
ISBN: 978-65-86270-65-5
2021, 82 p.

Sinopse: Um roteirista e diretor de cinema, que escrevia um roteiro sobre Rudolf Kasztner, judeu húngaro, sionista, que libertou 1.684 compatriotas do Holocausto, de repente se vê numa viagem fantástica e fantasmagórica a Auschwitz Birkenal, um dos campos de concentração nazista na Polônia. Ele passa a observar os horrores e os sofrimentos que os judeus enfrentaram em 1944 nos campos de extermínios, em fábricas de mortos instituída pelo Terceiro Reich, sob o comando de Hitler, Adolf Eichmann e Heinch Himmler para se chegarem à solução final. O tempo o questiona a respeito do acordo entre Kasztner e Adolf Eichmann sobre a liberdade dos 1684 judeus húngaros em troca de favores à Alemanha, pelos quais a própria família de Rudolf estava inclusa nessa liberdade, e os outros judeus que ficaram foram encaminhados às câmaras de gás.

Cover600.jpg

DA IGNOMÍNIA À PERTENÇA: NOVE ENSAIOS SOBRE AUGUSTO MATRAGA
Arturo Gouveia
ISBN: 978-65-86270-67-9
2021 - 364 p.

Sinopse: Os nove ensaios aqui reunidos procuram contribuir com enfoques os mais distintos, desde a categoria analítica ao embasamento teórico. O resultado é uma diversidade muito criativa, sem renúncia a algumas constantes fundamentais, como o privilégio concedido à imanência textual e a segurança na utilização das fontes conceituais e críticas. Isso evita impressionismos e certas leituras sectárias, em prol de cobranças éticas, tão em moda hoje nas Universidades brasileiras. Além de nomes representativos da crítica literária, os estudos dialogam, no campo teórico, com reflexões de Aristóteles, Mikhail Bakhtin, Erich Auerbach, Georg Lukács, Walter Benjamin, Tzvetan Todorov, Paul Ricouer, Carlos Reis e Ana Cristina Lopes, Antoine Compagnon, Northrop Frye, Bóris Tomachevski, Severo Sarduy, além de outros menos conhecidos, como estudiosos da escola italiana de Antonio Baggio.

Cover600.jpg

POESIA O QUE É E PARA QUE SERVE
Luciano D. Cavalcanti
2021 - 

Sinopse: Neste livro, o autor  apresentar uma leitura livre de poemas de alguns poetas significativos da literatura brasileira – incluindo um dos maiores cancionistas de nossa MPB, Chico Buarque de Holanda –, com o intuito de levar ao apreciador de poesia ou professor de literatura brasileira um repertório de análises de textos poéticos para serem lidos pelo simples prazer da fruição com o texto lírico, ou também para serem levados à sala de aula, como um possível caminho para a abordagem dos textos elencados.