Professora Adriana Furtuoso lança livro
sobre Vidas Secas e São Bernardo 

Adriana.png

Adriana Furtuoso da Silva é Mestra em Letras pela Universidade Federal do Ceará (UFC). É professora da rede municipal de Trairi, CE e da rede estadual de ensino (SEDUCE) e coordenadora pe-dagógica na Escola de Ensino Médio de Tempo Integral Maria Celeste de Azevedo Porto, em Trairi- Ceará.

As formas do mando Cover.png

As formas do mando: conformismo e decadência em Graciliano Ramos

Adriana Furtuoso da Silva

9786586270723

1ª. ed. 2021, 176 p.

R$ 68,00

As formas do mando analisa duas obras de Graciliano Ramos: Vidas Secas e São Bernardo. Neste livro, o mando é visto como sinônimo de autoridade, comando direto, domínio, ordem, poder e soberania. Segundo a autora, na primeira obra, tem-se o mando abstrato e social, representado por personagens anônimos que fazem parte de uma estrutura social na qual Fabiano se percebe dominado. Esse mando se operacionaliza sob a perspectiva do oprimido e seu aparente conformismo do retirante é subjugado pela sua situação de miséria acentuada pela seca; é animalizado pela sua condição de excluído ante a destituição de bens e de fala; explorado e enganado pelo  

 patrão, bem como é também humilhado em virtude do abuso de autoridade do soldado amarelo, representante de um Estado ausente. Na segunda obra, na visão do opressor, temos um mando personificado por uma figura desprovida de escrúpulos, o ambicioso Paulo Honório, que exerce um domínio sobre tudo e todos que estão a sua volta, inclusive sobre a esposa Madalena. À medida que tal domínio e autoridade diminuem, o personagem é levado a um estágio de decadência. O arcabouço teórico dessa análise compreende as contribuições de Antonio Candido, João Luiz Lafetá, Lourival Holanda, Ana Paula Pacheco, Sônia Brayner, Hermenegildo Bastos, Alfredo Bosi, Luís Bueno entre outros.

Cover3000.jpg

BENZEDORES DE SÃO MIGUEL DAS MISSÕES, RS:

a construção de suas identidades a partir de memórias e tradições

Juliani Borchardt da Silva

ISBN 978-65-86270-76-1
2021, 464  p. R$ 120,00

Sinopse: Juliani Borchardt da Silva apresenta a cidade de São Miguel das Missões, RS como uma “terra de benzedores”. Analisa dois aspectos fundamentais que justificam a referida abordagem: primeiro, a cidade denota empiricamente uma grande quantidade de sujeitos que exercem o ofício espiritual da cura e, segundo, há uma autodenominação das gestões municipais em enquadrarem publicitariamente e turisticamente a localidade como um espaço de onde emergem muitas pessoas com a referida prática no interior de suas famílias. A hipótese delimitada por esta pesquisa é a de que os sujeitos identificados como benzedores possuem sua prática alicerçada a priori em processos memoriais produzidos socialmente, os quais, transmitidos entre gerações, efetivam um ofício tradicional que demarca as identidades de seus praticantes e da comunidade em que vivem.

Sem título-1.png

MELHORANDO A REDAÇÃO DO TEXTO ACADÊMICO

Wilbett Oliveira
ISBN 978-65-86270-72-9
2021, 250  p. R$ 54,00

Sinopse: Este livro serve de instrumento à elaboração de resumos, resenhas, artigo, projeto de pesquisa e monografia, com vistas a atender às necessidades dos acadêmicos. Com informações claras e objetivas, revela os passos para a elaboração desses textos, porque apresenta exemplos e  exercícios que ilustram, de forma segura, as orientações dadas, contribuindo parcialmente, mas, sobretudo, de maneira singular, no processo de construção social do saber proposto pelas instituições de ensino superior.

UMA SANGRIA DE TREVAS_COVER.jpg

UMA SANGRIA DE TREVAS: A fraternidade não buguesa em Sagarana, Quarup

e outras narrativas brasileiras

Arturo Gouveia
ISBN 978-65-86270-66-2
2021, 212 p., R$ 62

Sinopse: Este livro consiste na apresentação de todo um embasamento teórico sobre a história e a conceituação da fraternidade no mundo ocidental, em duas vertentes: o legado do cristianismo e as concepções políticas do Iluminismo e da Revolução Francesa. Abrange ainda a análise do conto "A hora e vez de Augusto Matraga", de Guimarães Rosa, e do romance Quarup, de Antônio Callado. Em relação ao conto rosiano, uma parte da análise dos pretos velhos que protagonizam a ação fraterna já se encontra no ensaio "A fraternidade como exceção", no livro Da ignomínia à pertença (Editora Cajuína, 2021). Trata-se do enfoque de personagens secundários, porém muito importantes no destino do protagonista. O romance calladiano também demonstra ação decisiva de personagens marginais que salvam o herói da violência sofrida por um agente da ditadura  ...

ENTRE MUNDOS DIFERENTES_cover.jpg
Sinopse: Um roteirista e diretor de cinema, que escrevia um roteiro sobre Rudolf Kasztner, judeu húngaro, sionista, que libertou 1.684 compatriotas do Holocausto, de repente se vê numa viagem fantástica e fantasmagórica a Auschwitz Birkenal, um dos campos de concentração nazista na Polônia. Ele passa a observar os horrores e os sofrimentos que os judeus enfrentaram em 1944 nos campos de extermínios, em fábricas de mortos instituída pelo Terceiro Reich, sob o comando de Hitler, Adolf Eichmann e Heinch Himmler para se chegarem à solução final. O tempo o questiona a respeito do acordo entre Kasztner e Adolf Eichmann sobre a liberdade dos 1684 judeus húngaros em troca de favores à Alemanha, pelos quais a própria família de Rudolf estava inclusa nessa liberdade, e os outros judeus que ficaram foram encaminhados às câmaras de gás.
DA IGNOMÍNIA À PERTENÇA_COVER.jpg

DA IGNOMÍNIA À PERTENÇA: NOVE ENSAIOS SOBRE AUGUSTO MATRAGA
Arturo Gouveia
2021 - 364 páginas

Sinopse: Um roteirista e diretor de cinema, que escrevia um roteiro sobre Rudolf Kasztner, judeu húngaro, sionista, que libertou 1.684 compatriotas do Holocausto, de repente se vê numa viagem fantástica e fantasmagórica a Auschwitz Birkenal, um dos campos de concentração nazista na Polônia. Ele passa a observar os horrores e os sofrimentos que os judeus enfrentaram em 1944 nos campos de extermínios, em fábricas de mortos instituída pelo Terceiro Reich, sob o comando de Hitler, Adolf Eichmann e Heinch Himmler para se chegarem à solução final. O tempo o questiona a respeito do acordo entre Kasztner e Adolf Eichmann sobre a liberdade dos 1684 judeus húngaros em troca de favores à Alemanha, pelos quais a própria família de Rudolf estava inclusa nessa liberdade, e os outros judeus que ficaram foram encaminhados às câmaras de gás.
Cover3000.jpg

POESIA O QUE É E PARA QUE SERVE
Luciano D. Cavalcanti
2021 - 

Sinopse: Neste livro, o autor  apresentar uma leitura livre de poemas de alguns poetas significativos da literatura brasileira – incluindo um dos maiores cancionistas de nossa MPB, Chico Buarque de Holanda –, com o intuito de levar ao apreciador de poesia ou professor de literatura brasileira um repertório de análises de textos poéticos para serem lidos pelo simples prazer da fruição com o texto lírico, ou também para serem levados à sala de aula, como um possível caminho para a abordagem dos textos elencados.
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Pinterest
  • Tumblr Social Icon
  • Instagram